Assembléia acerta parceria para combater desperdício de energia


24/09/2001 19:32


DA REDAÇÃO

Disposta a reduzir ainda mais o consumo de energia, a Assembléia Legislativa inicia nesta quarta-feira, 26/9, um programa de combate ao desperdício inédito no Estado. O programa é uma parceria com a Eletropaulo, por meio da substituição de lâmpadas luminárias e reatores, no prazo de cinco meses, sem nenhum custo para o Legislativo. A cerimônia de início do cronograma de trabalho está marcada para as 15 horas, no salão nobre da Presidência.

As trocas representam uma economia da ordem de 1.210.710 kWh/ano (consumo) e uma redução de demanda de cerca de 250 kW. Os números são equivalentes ao consumo de energia de aproximadamente 430 residências atendidas pela concessionária. Serão substituídos aproximadamente 2.332 pontos de iluminação.

As luminárias instaladas serão equipadas com três lâmpadas fluorescentes compactas, substituindo as atuais, equipadas cada uma com seis lâmpadas fluorescentes, racionalizando as condições de iluminação. Segundo a Eletropaulo, a primeira etapa do projeto será concluída em 90 dias.

O presidente da Assembléia, Walter Feldman, lembrou que a Mesa Diretora do Legislativo iniciou em abril um programa para reduzir o consumo de energia, água e material de consumo. O programa é conduzido pelo Grupo de Trabalho e Planejamento, Análise Interna e Economicidade, sob coordenação da Secretaria Geral de Administração.

Em relação ao consumo de energia, foi criada também a Brigada do Apagão, grupo de funcionários de vários departamentos encarregado de identificar pontos de desperdício. Em agosto, o consumo de energia foi de 137.299 kWh, 40,25% abaixo da meta estabelecida pela Eletropaulo: 229.804 kWh. "O nosso esforço foi reconhecido", completou Feldman ao comentar a parceria com a Eletropaulo para modernizar o sistema de iluminação do Palácio 9 de Julho.



Aneel

O projeto de eficiência energética é parte do Programa de Combate ao Desperdício de Energia Elétrica, instituído pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), fiscalizado no âmbito do Estado de São Paulo pela Comissão de Serviços Públicos de Energia (CSPE), que determina que 1% do faturamento anual da distribuidora seja investido em processos de economia e uso racional de energia elétrica e em programas de pesquisa e desenvolvimento.

A CSPE, ligada à Secretaria do Estado de Energia, fez a análise e verificou as condições do enquadramento do projeto nos termos da legislação.