Notas de Plenário


07/05/2008 20:58


O mais pobre



José Candido (PT) comentou reintegração de posse ocorrida nesta terça-feira, 6/5, de área pertencente a uma construtora, em Carapicuíba, onde vivem cerca de duas mil pessoas. Segundo o deputado, que esteve no local, o quadro era estarrecedor: 800 policiais extremamente bem municiados enfrentavam uma população que não opunha resistência. Candido lembrou que Carapicuíba é a cidade mais pobre do Estado, mas, segundo ele, mais pobre ainda, pelo menos em iniciativa, é o prefeito, que nem sequer elaborou plano diretor para o município. (AB)



Sindicato dos Bancários



O deputado Marcos Martins (PT) parabenizou o Sindicato dos Bancários de São Paulo pelos 85 anos de sua fundação e registrou que a entidade está se preparando para uma nova eleição da diretoria. Ele compareceu ao lançamento da chapa 1, no dia 5/5, e à manifestação da mesma chapa realizada em Osasco, em frente à sede do banco Bradesco. Martins homenageou a entidade pelo papel que desempenhou no processo de redemocratização do país, lembrando os 18 meses em que esteve sob intervenção, durante o governo militar. (AB)



Segurança à deriva



Carlos Giannazi (PSOL) lamentou a não aprovação pela Assembléia, na terça-feira, 6/5, do projeto de lei que beneficiava os agentes de segurança penitenciária com a incorporação de uma gratificação ao salário. Outra coisa destacada pelo deputado foi o pedido de demissão do secretário-adjunto da Segurança Pública, acusado de envolvimento em extorsões a membros do PCC. Para Giannazi, os dois fatos refletem o estado de abandono em que se encontra a Segurança no Estado, "deixada à deriva, sem comando e sem projeto". (AB)



Providência simples



Da tribuna, Cido Sério (PT) apelou ao governo do Estado para que providencie a substituição da bomba de cobalto da Santa Casa de Araçatuba por uma máquina mais moderna para o tratamento do câncer, como um acelerador linear. Segundo Sério, a bomba está sem funcionar desde 2006, obrigando os pacientes que vivem na região a procurar centros médicos em outras cidades, mais aparelhadas para desenvolver esse tipo de tratamento. "Trata-se de uma providência simples e fácil de tomar, mas de grande importância", disse ele. (AB)



Educação e justiça



O 1º secretário da Casa, Donisete Braga (PT), destacou a aprovação pela Câmara dos Deputados, em Brasília, do projeto que fixa em R$ 950 o salário mínimo dos professores da rede pública. Braga lembrou que a idéia desse piso salarial partiu do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), em 2005, e aproveitou para parabenizar o presidente Lula e o ministro da Educação, Fernando Haddad, pelo empenho em prol de políticas públicas voltadas para a melhoria da educação. "A base da justiça social é uma educação pública de qualidade", concluiu. (AB)



Instituto do Câncer



Para Estevam Galvão (DEM), o Instituto do Câncer inaugurado nesta terça-feira, 6/5, em São Paulo, prestará um importante serviço à comunidade e trará tranqüilidade aos familiares de doentes de câncer. Galvão ressaltou que a nova unidade é o maior instituto de oncologia da América Latina, construída a partir do esqueleto do que antes deveria ser o Instituto da Mulher. "As mulheres devem receber tratamento diferenciado e de qualidade em todos os hospitais nos quais forem atendidas", ponderou Galvão. (AB)



Solidariedade



Marcos Martins (PT), comentando incidente havido na sessão de terça, 6/5, à noite, registrou sua solidariedade aos deputados Roberto Felício, líder de seu partido, e Olímpio Gomes (PV), a quem considerou "aliado do povo brasileiro e do Estado de São Paulo". "O povo sabe separar o joio do trigo e saberá julgar as pessoas", garantiu ele. (MF)



Desrespeito



Olímpio Gomes (PV) lamentou o desrespeito que sofreu à sua condição de deputado na noite de terça-feira, 6/5, que considerou ser "fruto do desespero de defender o indefensável" diante da irresponsabilidade do governo no Estado para com seus funcionários nos últimos 14 anos. Gomes ainda considerou omissão do governador a não concessão de promoção "post mortem" aos policiais mortos há dois anos em ataques criminosos. Ele reafirmou seu compromisso com seus eleitores, com os servidores públicos estaduais e com seu partido, e finalizou dizendo que não irá transigir na sua atuação. (MF)



Contra a impunidade



A absolvição do fazendeiro acusado de ser o mandante do assassinato da irmã Dorothy Stang, em 2005, foi lamentada por Ana Perugini (PT), que disse que a freira foi "morta moralmente". A deputada informou que foi solicitada a intercessão da OAB/SP para analisar o processo, para agir contra a "impunidade que impera na região do Amazonas, que não pode perdurar. Até onde vamos neste país com a impunidade? Quantos Chico Mendes, quantas irmãs Dorothy mais teremos?", perguntou ela, que anunciou a intenção de criar comissão de representação na Alesp para acompanhar o caso. (MF)



Crescimento da violência e da pobreza



Citando "cenas lamentáveis" que se repetiram em torno de estádios de futebol, Rafael Silva (PDT) pregou a necessidade de ação mais enérgica da PM contra aqueles "que se escondem no anonimato e agridem desrespeitando aqueles que vão às praças esportivas buscar lazer". O deputado ainda criticou os que garantem que o cultivo de cana-de-açúcar não atrapalha a produção de alimentos, lembrando que a cana gera latifúndios e, conseqüentemente, miséria no interior paulista. (MF)



Bom homem público



A deputada Vanessa Damo (PV) parabenizou o governo estadual pelas ações que tem empreendido na região do Grande ABC - que inclui o município de Mauá, reduto eleitoral da parlamentar. "O bom homem público não é aquele que promete fazer tudo, e sim aquele que diz se uma reivindicação pode ser ou não atendida. Serra tem lidado com seriedade em sua administração, buscando o bem-estar da região, dentro do possível. O bom homem público não atua sozinho, por isso também parabenizo os secretários estaduais, que têm feito de forma competente seu trabalho", declarou. Vanessa citou outras melhorias conquistadas por Mauá, como a inauguração do Banco do Povo e a entrega de computadores para os estudantes da cidade. (BA)



Chamem os suíços



O deputado Marcos Martins (PT) citou matéria publicada nesta quarta-feira, 7/5, no jornal Valor Econômico, que afirma ter o Wall Street Journal informado que a polícia suíça investiga pagamento de propina por parte da empresa francesa Alston a autoridades paulistas para fornecimento de equipamentos ao metrô. Segundo o parlamentar, a Alston tem a participação de 23% no Consórcio Via Amarela. "O consórcio ainda não se manifestou sobre a denúncia. Já existe na Casa um pedido de CPI sobre as obras da Linha 4 do Metrô, que deve ser reforçado. Será que esta Casa vai esperar que os suíços resolvam nossos problemas", indagou Martins. (BA)



Inquirição



Rui Falcão (PT) comentou que, inquirida pelo senador Agripino Maia se iria mentir à CPI do Dossiê como mentiu quando foi torturada, a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, respondeu: "Fui barbaramente torturada e me orgulho de ter mentido quando me torturaram". De acordo com Falcão, a ministra rebateu a suposta comparação do dossiê dos cartões corporativos com os dossiê produzidos na época da ditadura militar, afirmando que atualmente vivemos numa democracia. "Ela foi ovacionada depois de sua resposta às palavras do senador, inclusive por parlamentares da oposição", finalizou. (BA)



Homenagem à Polícia Civil



Fernando Capez (PSDB) lembrou a sessão solene desta segunda-feira, 5/5, por sua iniciativa, em homenagem aos 200 anos da Polícia Civil no Brasil e 103 anos de existência da instituição no Estado de São Paulo. "A cerimônia foi uma manifestação de respeito e de cidadania. A diferença entre o FBI, nos Estados Unidos, e a Polícia Civil brasileira é que o norte-americano exalta os pontos positivos de sua polícia. Nós, ao contrário, e ainda em tom jocoso, acentuamos os defeitos das nossas instituições, e não suas qualidades. Devemos enaltecer a história, o hino e as tradições da Polícia Civil, além de valorizar aqueles trabalham nesta instituição." (BA)