Palácio 9 de Julho é patrimônio cultural do Estado


19/09/2019 19:21 | Celebração | Fabio Donato

Compartilhar:

Palácio 9 de Julho<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-09-2019/fg240172.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Casa do Povo, Alesp, Parlamento... Lugar de debates, a sede do legislativo paulista tem diversas alcunhas e é chamada por diferentes nomes, em diferentes lugares. Fato é que, a Avenida Pedro Álvares Cabral, no número 201, é morada de histórias e trajetórias épicas e marcantes, nos 51 anos de existência do prédio.

Inaugurado em 1968 pelo então governador Abreu Sodré, presidente da Alesp entre 1960 e 1963, o prédio foi projetado pelos arquitetos Adolfo Rubio Morales e Fábio Kok de Sá Moreira, e planejado, desde a primeira viga de ferro até a mobília, especialmente para abrigar os parlamentares e executar as ações que, diariamente, fazem andar a maior casa legislativa do país.

A construção é tão colossal quanto sua importância na vida dos paulistas: são 36 mil metros quadrados, erguidos em cinco anos e meio de construção por cerca de mil trabalhadores. A edificação ficou ainda mais majestosa recentemente: a inauguração do prédio anexo, em 2009, trouxe modernidade aliada a praticidade, com mais gabinetes, o auditório Paulo Kobayashi e salas de reunião.

Desde 2001, o Palácio é considerado patrimônio cultural do Estado de São Paulo, graças à Lei Estadual 10.881/2001, sancionada em 19 de setembro daquele ano, completando hoje sua maioridade. A lei, proposta pela Mesa Diretora da época, presidida por Walter Feldman, foi aprovada na Casa e sancionada pelo então governador Geraldo Alckmin.

Com mandato à época da aprovação da lei, o deputado Roberto Engler (PSB) afirma que a sede do legislativo precisa ser de fato a Casa do Povo, e enaltece as exposições artísticas que a Alesp recebe constantemente. "É um prédio histórico. Tem a sua tradição de fazer exposições aqui dentro, temos vários espaços de cultura abertos ao público, de forma gratuita. A Assembleia não é só um lugar de debates, é também um espaço cultural, disponível para quem queira vir. É bom que as pessoas venham reclamar, porque isso é o exercício de cidadania. É de fato a Casa do Povo", declarou o parlamentar.

Para mais informações sobre as atividades parlamentares, exposições artísticas e eventos da Casa, consulte a agenda da Alesp no portal www.al.sp.gov.br.