Em Tribuna Virtual parlamentares pedem atenção a problemas gerados pela pandemia


17/04/2020 17:31 | Plenário | Barbara Moreira - Foto: Sergio Galdino

Tribuna Virtual<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2020/fg248451.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Tribuna Virtual<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2020/fg248452.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Tribuna Virtual<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2020/fg248453.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a> Tribuna Virtual<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2020/fg248454.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Apesar da impossibilidade de atividades presenciais na Casa devido ao surto do novo coronavírus, deputados do Legislativo paulista continuam tendo lugar de fala. Três oradores apresentaram suas ideias na Tribuna Virtual desta sexta-feira (17/4).

O deputado Carlos Giannazi (PSOL) iniciou a sessão manifestando repúdio à demissão do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, "haverá o desmonte da equipe técnica do Ministério da Saúde, um absurdo total, um crime, uma irresponsabilidade que vai aumentar a insegurança do Brasil nessa área

Carlos Giannazi aproveitou seu espaço na Tribuna Virtual para falar sobre um assunto que se tornou recorrente no país. "Não existe isso de vida versus desemprego, na verdade, todos querem voltar ao trabalho, reabrir o comércio, voltar às escolas, o povo brasileiro quer voltar à normalidade, mas com segurança".

O parlamentar também criticou atitudes do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. "Ele tem um discurso e uma prática diferente, porque ele não oferece condições para que os servidores possam se manter na quarentena". Quanto ao Estado, Giannazi se mostrou contra a suspensão dos concursos públicos, a demissão de trabalhadores terceirizados durante a pandemia e a subtração de benefícios do servidor.

Para finalizar, pontuou sobre o fato da MP 905/2019, referente a Carteira Verde e Amarela, não ter passado no Senado Federal. "Era uma minirreforma trabalhista que aprofundava a retirada de direitos dos trabalhadores"

A deputada Isa Penna (PSOL) foi a segunda a discursar na Tribuna Virtual nesta sexta-feira e também se posicionou contra atitudes do Presidente da República: "está querendo estimular uma polêmica que não existe, que é entre a economia e aqueles que estão preocupados com a vida".

A parlamentar agradeceu os profissionais de saúde e pediu maior atenção para os servidores do metrô que, para ela, necessitam ser classificados como trabalhadores essenciais nesse momento. "Eles precisam ser ouvidos, precisam de testes, de EPIs e ter benefícios garantidos".

Por último, Isa falou sobre a violência doméstica durante a pandemia. A deputada demonstrou preocupação com as mulheres que, pelo isolamento social, estão confinadas com seus agressores. O PL 191/2020, de sua autoria, visa obrigar o Estado a tomar medidas de prevenção às agressões e acolhimento de mulheres e crianças vítimas de violência doméstica enquanto o estado de calamidade pública perdurar.

O deputado Sargento Neri (Avante) foi o terceiro orador e, ao contrário dos demais, parabenizou o presidente Bolsonaro pela demissão de Mandetta, mas foi contra a atitude do governador João Doria de estender a quarentena até 10/5, e disse que vai entrar com um mandado de segurança contra a medida. Para ele, a política adotada vai estagnar a economia e fazer com que a população fique ainda mais dependente do Estado.

"Vai quebrar nosso Estado, a cidade, poderia se fazer de forma prudente. O restaurante que comporta 50 pessoas poderia atender 10, 15, 20 pessoas, de forma coerente, com espaçamento em vez de fechar suas portas", disse.

Sargento Neri, que se recuperou do Covid-19, defendeu cloroquina e agradeceu aos profissionais da saúde que o atenderam pelo SUS enquanto esteve internado. O parlamentar repreendeu a imprensa e o governo que, para ele, informam apenas sobre os infectados e mortos, enquanto precisam detalhar também sobre a parcela curada.

Neri afirmou ter entrado com requerimento no Ministério Público do Trabalho para pedir fiscalização nas praças de pedágio. "Hoje recebi uma notícia que o Hospital do Amor vai ter que cancelar alguns atendimentos porque houve uma imposição judicial fazendo que ele liberasse os funcionários. Olha que incoerência, o Hospital do Amor vai ter que fechar alguns setores e os pedágios todos abertos, sem nenhuma estrutura de segurança para o funcionário e para os usuários". "Entramos também com mandado de segurança contra um decreto abusivo do governo (nº 64937/2020) que quer não pagar um terço de férias para os funcionários públicos, isso é um absurdo, é inconstitucional".

Falou ainda sobre a falta que equipamentos de proteção individuais aos agentes de segurança pública e da necessidade de reestruturação no Hospital da Polícia Militar para atender os policiais infectados. Para finalizar a sua fala na Tribuna Virtual, o deputado solicitou a todos que repudiem e denunciem atos de violência contra mulheres, crianças e idosos e pediu para que os cidadãos paulistas ajudem as pequenas e médias empresas, comprando mercadorias de fabricantes brasileiros e empreendedores locais.

Para ver os discursos na íntegra acesse o portal ou o canal da Alesp no YouTube através dos links: www.al.sp.go.br e www.youtube.com/user/assembleiaspconteudo.