Opinião - Vitor Sapienza: um legado de sabedoria, trabalho e amor

As matérias da seção Atividade Parlamentar são de inteira responsabilidade dos parlamentares e de suas assessorias de imprensa. São devidamente assinadas e não refletem, necessariamente, a opinião institucional da Assembleia Legislativa de São Paulo.
23/04/2020 18:57 | Atividade Parlamentar | Rafael Silva*


A história quase sempre é senhora de todos nós. Somos essencialmente aquilo que realizamos. Mas, e o que guardamos e que pouca gente é capaz de perceber, para onde vai? O Deputado Vitor Sapienza está nesse contexto das duas formas. Foi um realizador tenaz e nunca escondeu ou poupou sentimentos. Era um homem de trato generoso, sabia o valor de cada amizade e estendia aos colegas de vida pública os afetos que poucos conseguem transmitir.

Convivi com Vitor Sapienza por mais de uma década. Aprendemos, juntos, muitas coisas importantes. Vencemos inúmeras batalhas para defender o que considerávamos justo, correto, democrático. É preciso reconhecer que nem todos na política são iguais. Há homens públicos de extremo valor. A história também se encarregará de nomeá-los.

Nascido na capital paulista no ano de 1933, Vitor Sapienza já antevia que seus passos o levariam para o entrincheirado campo das decisões. Formado em Economia e Ciências Contábeis pela PUC de São Paulo, elegeu-se deputado pela primeira vez em 1987. Foi, naquela época, Presidente da Comissão de Finanças e Orçamento do Poder Constituinte, num papel importante, porque mexeria com toda a vida do país. Em suas passadas firmes, presidiu a Assembleia Legislativa do Estado e chegou a exercer interinamente o cargo de Governador no ano de 1994. Sempre viajava pelo interior, ajudando entidades beneficentes. Guardava um carinho especial pelos idosos, auxiliando-os de todas as formas. Descendente de italianos, era alegre, expansivo e um apaixonado pelo Palmeiras, clube do qual foi membro do Conselho. Em 2017, Sapienza assumiu como suplente. Foi seu oitavo e último mandato.

Mas esses finais, nos variados ambientes da vida, impostos pelo tempo, vão inaugurando outros começos. Como as mais belas palavras, que nos possibilitam enxergar o mundo de mil maneiras diferentes. Palavras que ele sabia transformar em verdejantes esperanças. Com seu legado, Vitor Sapienza, homem de coração ensolarado, abriu manhãs na alma de jovens políticos, que um dia também iniciaram sua jornada e sonharam uma realidade melhor.

Eu e Vitor não bebemos o último café juntos, mas nossa relação não carecia de proximidade física para embalar o respeito que construímos um pelo outro, o amor pela defesa dos valores mais nobres e dignos, a sensibilidade em favor das causas mais necessárias. Sapienza, como a palavra nos intui, remete à sabedoria. E se eu pudesse resumir a sua vida de uma única forma, seria essa. Ao querido amigo, fica o meu singelo registro, a minha admiração e o meu já saudoso aplauso.

* Deputado estadual, formado em Filosofia e pós-graduado em Sociologia