Auxílio emergencial para profissionais de eventos

As matérias da seção Atividade Parlamentar são de inteira responsabilidade dos parlamentares e de suas assessorias de imprensa. São devidamente assinadas e não refletem, necessariamente, a opinião institucional da Assembleia Legislativa de São Paulo.
01/03/2021 11:42 | Atividade Parlamentar | Da assessoria do deputado Murilo Felix

Compartilhar:

Murilo Felix (à dir.)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-03-2021/fg261626.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

O deputado Murilo Felix (PODE) protocolou, ontem, indicação ao governador João Doria (PSDB) para disponibilização de auxílio emergencial para profissionais do setor de eventos.

De acordo com informações da Associação Brasileira de Empresas de Eventos, o setor gera dois milhões de empregos no Brasil e movimenta R$ 209 bilhões por ano. Esse valor representa 4,3% do PIB nacional. No entanto, com a pandemia da Covid-19, 98% dos profissionais da área tiveram seus rendimentos comprometidos e, segundo dados da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), 400 mil perderam seus empregos.

"Estamos há um ano enfrentando a pandemia e vários setores produtivos foram afetados, mas já tivemos o retorno de diversas atividades. Contudo, o setor de eventos foi e ainda está sendo um dos mais impactados pela pandemia em todo o país", afirma Murilo.

O benefício proposto está em conformidade com a lei federal 14.017/2020, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural durante o estado de calamidade pública. O deputado justifica que, com as medidas de isolamento social recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e especialistas de saúde, determinadas atividades econômicas, por serem mais susceptíveis à dispersão do contágio, acabaram sendo mais prejudicadas que outras que puderam ser retomadas. "O setor de eventos sofre em especial essas dificuldades e devemos reconhecer as necessidades desses profissionais", completa o parlamentar. O valor sugerido é R$ 1 mil, dividido em duas parcelas de R$ 500, que será destinado aos profissionais do setor cadastrados junto ao órgão competente.