Alesp participa do Novembro Azul


01/11/2018 19:26 | Campanha | Leonardo Battani - Foto: Vera Massaro

Palácio 9 de Julho <a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-11-2018/fg227119.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Durante todo o mês de novembro, a fachada da Assembleia Legislativa de São Paulo estará azulada. O motivo é ressaltar a importância da prevenção da saúde masculina, com ênfase ao câncer de próstata - eixo da campanha Novembro Azul. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), essa é a segunda doença que mais mata no mundo.

Homens de todo o país, a partir do 45 anos, devem ficar atentos para a realização dos exames preventivos, como o PSA " feito por coleta de sangue " ou o de toque retal. O diagnóstico precoce eleva a chance de cura da doença para 90% dos casos.

A estimativa do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) é de que em 2018 ocorrerão 68.220 novas detecções " enquanto devem ser registradas 13 mil mortes devidas ao tumor.

Na fase inicial, o câncer não apresenta sintomas. Em estágios mais avançados, pode provocar sintomas urinários (dor e dificuldade ao urinar), infecção generalizada ou insuficiência renal.

O tratamento pode ser feito com cirurgia ou radioterapia. Em casos mais delicados, o tratamento hormonal tem sido utilizado com sucesso.

O movimento Novembro Azul surgiu na Austrália, em 2003, por conta das comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado em 17 de novembro. No Brasil, a campanha foi criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, com o objetivo de quebrar o preconceito masculino de ir ao médico e, quando necessário, fazer o exame de toque.