Obra de barragem em Pedreira será levada ao Ministério Público


11/07/2019 18:08 | Atividade Parlamentar | Da assessoria da deputada Márcia Lia

Márcia Lia (ao microfone)<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-07-2019/fg236934.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

A deputada Márcia Lia irá propor aos mandatos que compõem a Frente Parlamentar em Defesa do Setor de Energia, Barragens, Saneamento Básico e Recursos Hídricos, a chamada Frente de Energia da Alesp, uma representação junto ao Ministério Público para parar a construção da barragem no Rio Jaguari, na cidade de Pedreira, na região de Campinas.

Vice-coordenadora da Frente de Energia, Márcia Lia presidiu uma audiência pública na Câmara dos Vereadores de Pedreira no dia 5/7, representando o deputado Enio Tatto, coordenador da Frente, e entendeu, a partir da exposição de especialistas no assunto, que existem inúmeros elementos de ilegalidade na obra, o que justifica a provocação ao MP.

O encaminhamento proposto pela parlamentar se baseia principalmente nas apresentações do ex-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu; de Cássio Scabora, da Comissão Popular Barragem Não!; e de Diego Ortiz, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), que compuseram a mesa de autoridades da audiência e apresentaram inúmeros elementos que depõem contra a construção da barragem em Pedreira.

Na visão de Vicente Andreu, a obra é antes de tudo inútil. Segundo ele, a barragem está sendo construída para abastecer as cidades que ficam do lado de cima da represa, principalmente Campinas, e para transportar a água será necessário construir também uma adutora, que, ou será um túnel ou terá 200 metros de altura. "Hoje já se sabe que o custo desta água para Campinas está em R$ 4 o metro cúbico", observou Andreu.