Ações para o setor da Construção e Mineração


03/04/2020 14:09 | Atividade Parlamentar | Da assessoria do deputado Itamar Borges

Itamar Borges em conversa com Rodrigo Garcia<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2020/fg248232.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Diante da pandemia do novo coronavírus, o setor da Construção e Mineração, que esperava um 2020 promissor, vem enfrentando dificuldades. O deputado Itamar Borges, coordenador da Frente Parlamentar da Indústria da Construção e da Mineração da Alesp, falou com o vice-governador Rodrigo Garcia, sobre as aflições do setor, durante reunião por vídeo conferência realizada na terça-feira, 31/3.

O parlamentar lembrou que a cadeia da construção civil tem mais de 60 setores atrelados e também falou da necessidade de liberar linhas de crédito e ainda sobre obras públicas de infraestrutura e mobilidade urbana para a construção civil, o que for possível agora, e em grande escala, após a retomada normal, pois o setor tem um poder de empregabilidade grande e com rápidas respostas.

A atividade não parou na crise e mantém o trabalho nos locais onde há permissão, além disso, empresas e trabalhadores estão seguindo as recomendações de saúde. Porém, como todas as atividades econômicas, houve impactos para a cadeia.

Na segunda-feira, 30/3, o Governo Federal liberou a contratação das faixas 1,5 (renda familiar bruta de até R$ 2,6 mil) e 2 (renda bruta familiar de até R$ 4 mil) do programa Minha Casa, Minha Vida com recurso de 100% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Essa foi a primeira medida atendida pelo Governo para o setor. O subsídio é pago da seguinte forma: 10% do Orçamento da União e 90% do FGTS. Com a portaria, esgotado o uso dos recursos do Orçamento, o FGTS pode cobrir a diferença de 10%.