Hospital poderia oferecer 300 leitos para enfrentamento da Covid-19


13/04/2020 15:33 | Atividade Parlamentar | Da assessoria do deputado Carlos Giannazi

Celso Giannaz, Carlos Giannazi e Toni Zagato<a style='float:right' href='https://www3.al.sp.gov.br/repositorio/noticia/N-04-2020/fg248391.jpg' target=_blank><img src='/_img/material-file-download-white.png' width='14px' alt='Clique para baixar a imagem'></a>

Para a população que necessita de serviços de saúde, pouco importa se o atendimento é feito em um equipamento estadual ou municipal. O que importa é rapidez e qualidade. Para os moradores da zona oeste da capital, entretanto, isso não é levado em consideração, já que Hospital Sorocabana está há 10 anos fechado por um impasse quanto à sua vinculação.

O tema foi abordado, em 6/4, em videoconferência ao vivo no Facebook, promovida pelo deputado Carlos Giannazi e o vereador Celso Giannazi (ambos do PSOL), tendo como convidado Toni Zagato, membro do Conselho Participativo Municipal-Regional Lapa.

O Sorocabana, que poderia abrigar até 300 leitos, tem apenas dois de seus sete andares ocupados por unidades ambulatoriais. A prefeitura, que detém a posse do prédio pelos próximos 20 anos, argumenta que não poderia fazer um grande investimento em um imóvel que pertence ao Estado. E este, por ter cedido o uso do hospital à prefeitura, também se abstém de investir.

"Em poucos dias foi decidida a construção de dois hospitais de campanha. Como um hospital já existente, com cinco pavimentos fechados, não pode ser transferido em definitivo para a prefeitura para viabilizar sua reativação?", questionou Zagato. Ele foi complementado por um espectador da live, Mário Balanco, que atua em movimento semelhante pela retomada da capacidade plena do Hospital Universitário. "A escolha é entre hospitais permanentes, que ficarão para a população, ou os de campanha, que não agregarão nada após a pandemia", destacou.