Prêmio Beth Lobo

Informações ou consultas: cdd@al.sp.gov.br

O “Prêmio Beth Lobo de Direitos Humanos das Mulheres” da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo foi criado através da Resolução ALESP nº 881, de 28 /03/ 2012 com o objetivo de reconhecer e valorizar o trabalho de pessoas, entidades e movimentos sociais que lutam pela defesa dos direitos humanos das mulheres e pelo enfrentamento da violência contra as mulheres, incentivar ações da sociedade civil na defesa dos direitos humanos das mulheres e no enfrentamento da violência contra as mulheres, firmar o compromisso do Legislativo Paulista com a defesa dos direitos das mulheres como parte dos direitos humanos e o enfrentamento da violência contra as mulheres, a ser outorgado anualmente a pessoa, entidade ou movimento social que se destacar por sua atuação na defesa dos direitos humanos das mulheres e no enfrentamento da violência contra as mulheres.

A socióloga Elisabeth Lobo inovou, desde os anos 1980, as pesquisas sobre gênero e sociologia do trabalho no Brasil, dedicando-se ao ensino e à pesquisa nessa área a partir de 1982, no Departamento de Sociologia da Universidade de São Paulo. Estudou a divisão do trabalho entre homens e mulheres e teve intenso intercâmbio intelectual com pesquisadores dos Estados Unidos e do Canadá. Sua morte prematura, em março de 1991, aos 47 anos, impediu a realização de novas pesquisas e intercâmbios, mas a disseminação de suas ideias se deu por colegas e discípulas, doutorandas e estudantes, como também pelas sindicalistas e militantes políticas com quem conviveu e trabalhou no dia a dia.

A definição do premiado em cada ano será feita mediante a escolha, pela maioria dos deputados integrantes da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, da Cidadania, da Participação e das Questões Sociais da Assembleia Legislativa, a partir de indicações apresentadas por qualquer entidade de defesa dos direitos das mulheres, como parte dos direitos humanos, com atuação reconhecida no Estado de São Paulo, levando-se em conta a atuação da entidade ou pessoa indicada.


Relação de edições e premiados:

  • 1ª Edição – 2012
    • Elisabeth Lobo, falecida em 1991
    • Maria Lúcia Petit, morta no Araguaia em 1972

  • 2ª Edição – 2013
    • Nasaindy Barret de Araújo

    • Menção honrosa para:
      • Zuleika Alambert
      • Márcia Yajgunovitch Mafra
      • Eleonora Menicucci de Oliveira
      • Damaris Lucena
      • Ilda Martins da Silva
      • Izaura Silva Coqueiro
      • Pedrina José de Carvalho
      • Elzita Santa Cruz
      • Clara Char
      • Eunice Paiva

  • 3ª Edição – 2017
    • Laura Capriglione
    • Sônia Coelho
    • Roseli de Oliveira
    • Helena dos Santos Reis

  • 4ª Edição – 2018/2019
    • Geledés Instituto da Mulher Negra
    • Joyce Fernandes
    • Bem Querer Mulher
    • Teresa Lara
    • Dalila Eugenia Maranhão Dias Figueiredo
    • Natacha Lopes
    • Camila Lissa Assano
    • Adriana Barbosa
    • Dilma Vana Rousseff

  • 5ª Edição – 2020
    • Margarida Bulhões Pedreira Genovois

    • Petra Costa

    • Raquel Auxiliadora dos Santos

    • Catarina Delfina dos Santos

    • Bete Tonobonh Siraque

    • Casa Helenira Preta de Referência para Mulher

      Presta atendimento psicológico, social e jurídico para mulheres em situação de violência.

    • Associação Agentes da Cidadania – Mulheres de Luz

      Cujo objetivo é inserir mulheres em situação de prostituição no mercado de trabalho formal e promover geração de renda.

    • Marcha das Mulheres Negras de São Paulo

    • Casa Maria Maia (Instituição Filantrópica de Sociedade Civil)

    • Associação Guadalupe

    • Centro de Reestruturação para a Vida – CERVI

    • Ivaneti de Araújo (liderança da luta por moradia)

    • Maria Aparecida da Silva

    • Damares Alves

    • Ana Cañas

    • Patrícia Toledo de Campos Mello

    • SOS Ação Mulher e Família

      Entidade que promove o atendimento psicológico/social/jurídico de mulheres, homens, adolescentes e crianças em situação de violência doméstica/intrafamiliar e de gênero.